Make your own free website on Tripod.com

Ortodoxia 2000

Menu Ícones.
Clique no título para acessar Ícones de Cristo

Ícones de Cristo.



Clique no título para acessar Ícones da Mãe de Deus

Ícones Mãe de Deus.



Item Ícones dos Santos inativo

Ícones dos Santos.



Clique no título para acessar Ícones das Festas

Ícones das Festas.



Clique no título para retornar ao início de Ícones

Início Ícones.



Clique no título para retornar a página principal do site

Retorna Página Inicial.

Ícones de Cristo

Índice de Ícones,
Click sobre os Ícones.
Acesse, clicando sobre este Ícone
Acesse, clicando sobre este Ícone
Acesse, clicando sobre este Ícone
Acesse, clicando sobre este Ícone

A palavra "ícone" deriva do termo grego "eikon" que significa genericamente "imagem". Todavia, na história da arte e também na linguagem comum, a palavra ícone é reservada a uma pintura, geralmente portátil, de gênero sagrado, executada sobre madeira com uma técnica particular, e segundo uma tradição transmitida pelos séculos. A pátria do ícone é o Oriente bizantino que, com desvelo, conservou obras-primas artísticas de grande valor espiritual que chegaram a nós.

Eles representam a imagem sacra, o ícone litúrgico, representa principalmente Cristo. Ela não pode representar o Deus invisível e incompreensível; é a encarnação do Filho de Deus que inaugurou uma nova "economia" das imagens:

Antigamente Deus, que não tem nem corpo nem aparência, não podia em absoluto ser representado por imagem. Mas agora que se mostrou na carne e viveu com os homens posso fazer uma imagem daquilo que vi de Deus. (...) Com o rosto descoberto, contemplamos a glória do Senhor ( São João Damasceno ).

A iconografia cristã transcreve pela imagem a mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite pela palavra. Imagem e palavra iluminam-se mutuamente:

Para proferir sucintamente nossa profissão de fé, conservamos todas as tradições da Igreja, escritas ou não-escritas, que nos têm sido transmitidas sem alteração. Uma delas é a representação pictórica das imagens, que concorda com a pregação da história evangélica, crendo que, de verdade e não na aparência, o Verbo de Deus se fez homem (São João 1,1-18 abaixo), o que é também útil e proveitoso, pois as coisas que se iluminam mutuamente têm sem dúvida um significado recíproco ( II Concílio de Nicéia ).

[por Elder Sandim]


PAVEL EVDOKIMOV

6 Pois o Deus que disse: brilhe a luz no meio das trevas foi o mesmo que brilhou em nossos corações para fazer resplandecer o conhecimento da sua glória que resplandece no rosto de Cristo.(2Cor 4, 6 - Bíblia Sagrada - TEB Tradução Ecumênica da Biblia - Ed. Loyola)

O ícone é uma doxologia semelhante, uma torrente de glória e a canta com seus próprios meios. A verdadeira beleza não precisa de provas: é uma evidência ereta como argumento iconográfico da verdade divina. Esta qualidade é que dá aos ícones o seu conteúdo inteligível; ele é dogmático e, por isso, o ícone não é belo como obra de arte, mas como a própria verdade. Um ícone jamais poderá ser gracioso, mas belo, exigindo uma maturidade espiritual para ser reconhecido.

A imobilidade externa das figuras é muito paradoxal, pois cria uma forte impressão que algo se move interiormente. O plano material parece estar todo concentrado na espera de uma mensagem, e somente o lhar traduz a tensão das energias vitais..."

Pavel Evdokimov ou Paul Evdokimov (1901-1970), teólogo leigo russo, escritor do Livro O Espírito Santo na Tradição Ortodoxa, La teologia della belleza e muitos outros.


O Verbo - (SÃO JOÃO - 1, 1-18).

1 No princípio era o VERBO, e o Verbo estava junto de DEUS e Verbo era DEUS.

2 Ele estava no princípio junto de DEUS.

3 Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito.

4 Nele havia vida, e a vida era a luz dos homens.

5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

6 Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava JOÃO.

7 Este veio como testemunha, para dar testemunha da luz, a fim de que todos cressem por meio dele.

8 Não era ele a luz, mas veio para testemunho da luz.

9 [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem.

10 Estava no mundo e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.

11 Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam.

12 Mas a todos aqueles que o receberam, aos que creêm no seu nome, deu-lhes o poder de ser tornarem filhos de Deus,

13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus.

14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade.

15 João dá testemunho dele, e exclama: "Eis aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim é maior do que eu, porque existia antes de mim."

16 Todos nós recebemos da sua plenitude graça sobre graça.

17 Pois a lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.

18 Ninguém jamais viu Deus, O Filho único, que está no seio do Pai, foi quem o revelou.

Bíblia Sagrada - Editora Ave Maria.



| Página atualizada em 16 de fevereiro de 2007 |